terça-feira, agosto 30, 2005

Papai, minha namorada e eu

Papai sempre foi um homem muito sacana, que mesmo na minha presença não deixava de mexer com as meninas novinhas pelas quais sempre teve muita atração. Por ser um homem muito bonito e atraente além de extremamente simpático, várias amigas minhas de escola passaram pela sua cama, muitas vezes intermediadas por mim.
Embora eu não me considere tão sacana quanto ele, aprendi muita putaria observando-o escondido ou através de seus relatos.
Certa vez arranjei uma namorada um pouco mais velha do que eu e bem mais experiente. Era realmente muito bonita e chamava a atenção de todo homem. Quando lhe apresentei papai, senti imediatamente uma forte atração entre ambos, a qual procurei ignorar. Mas o tempo fez com que a atração entre ambos crescesse, ao invés de diminuir. Como eu a amava sinceramente e não queria perdê-la de forma alguma, quando senti que o inevitável iria acontecer, como tantas vezes eu fizera, intermediei uma relação entre ela e papai. Para minha surpresa, ela pediu-me que falasse com meu pai para que eu e ele transássemos ao mesmo tempo com ela. Ligadão numa sacanagem, ele concordou na hora.
No quarto de papai, ficamos os três completamente nus. O pau de papai já estava duro mesmo antes de ele tirar a roupa e, quando o fez, deixou mina namorada de boca aberta de admiração, pois a rola de papai é realmente grande, maior que a minha que é bem dotada. Ao vê-la, minha namorada, após alguns instantes, falou sorrindo: “Mas essa família é extraordinária!” Fomos os 3 para o banheiro nos lavar para retirar o suor e qualquer cheiro desagradável de nossos corpos.
Já no banho, minha namorada ajoelhou-se à nossa frente e abocanhou primeiro a imensa rola de papai e depois a minha, intercalando a chupada em cada pau e tentando, em vão, colocar as duas na boca ao mesmo tempo. Enquanto chupava uma, a outra era esfregada em seu rosto. Quando levantou-se, abaixei e comecei a lamber sua xana. Papai, por trás, abriu-lhe mais as pernas e a bunda com as mãos e passou a lamber seu cuzinho. A garota rebolava e gemia de prazer.
Molhados, caímos na cama os três. De quatro, inclinada sobre a rola de papai, minha namorada recomeçou a chupá-lo, enquanto eu, por trás dela, meti-lhe a pica na boceta, fodendo-a com vontade maior que a costumeira por vê-la com a boca no caralho do meu pai. Após um tempo, papai pediu-me que metesse no cu a garota e ele, ajeitando-se na cama, fez com que ela encaixasse sua vagina em seu pau. Ela urrou com a dupla penetração. Fiquei fodendo seu cu um bom tempo, mas a vontade de ver o pau do meu pai comenda a minha namorada fez com que eu saísse de dentro do cu dela e me ajoelha-se aos pés da cama, bem à frente deles. Da posição em que me encontrava eu podia ver a rolona de papai pulsando, entrando e saindo da boceta da minha garota. Uma vontade incontrolável de lamber a xana dela enquanto era comida por meu pai tomou conta de mim. Aproximei-me e enfiei a língua entre as paredes da boceta dela e a rola de papai. Porém, algo inimaginável para mim aconteceu. O cheiro e a proximidade da rola de papai me extasiaram. Comecei a passar a língua pelo pau de papai à medida que ele entrava e saía da boceta. Papai começou a gemer alto e perguntou-me: “Seu puto, o que você está fazendo que está me deixando com mais tesão?! Continua que está uma delícia!”. Passei então a lamber e em seguida a chupar as bolas de papai, levando-o à loucura. Podia sentir seu pau ficar ainda mais duro devido ao tesão. Não resistindo a nenhum pudor, aproximei ainda mais a minha cabeça, inclinei-a um pouco e, com a boca semi aberta, abocanhei com os lábios a rola de papai, que continuava dentro da minha namorada. Eu podia sentir todo o gosto daquela xana que eu tantas vezes lambera misturada ao gosto da baba que saía do pau de papai. Num determinado momento, o pau de papai escapou da boceta da minha namorada. Não perdi tempo e a coloquei toda na boca, chupando-a com uma vontade até então desconhecida para mim. Minha garota, ao ver que o pau de papai não voltara para dentro dela, levantou-se e viu-me chupando meu próprio pai. Mas, ao invés de ficar indignada, ficou ainda mais excitada. Ajoelhou-se ao meu lado e ambos dividimos a minha rola paterna, levando papai ao êxtase e fazendo-o jorrar porra em nossas bocas e caras.
Passado o tesão, senti-me completamente envergonhado pelo que acontecera, mas os dois me consolaram e disseram que hoje em dia é comum um homem ir além da simples relação heterossexual. Ambos contaram já haver tido, com outras pessoas, relações bissexuais muito satisfatórias. Admirei-me quando papai contou já ter transado com alguns rapazes amigos meus. E disse que aquilo em nada diminuía o seu desejo pelas mulheres, apenas abria-lhe outros campos para o prazer sexual.
Dias depois, estando apenas papai e eu em casa, ele colocou um filme pornô para assistir e chamou-me. Sentamo-nos lado a lado no chão, recostados no sofá, nus, e começamos a bater punheta. Numa cena bissexual, papai colocou sua perna sobre a minha. Olhei para ele, que sorriu-me maliciosamente. Envolvido pelo tesão, toquei eu sua rola deliciosa. Papai passou a mão por trás da minha cabeça, puxando-a levemente em sua direção, dizendo: “Mata a sua vontade, que eu sei que você gosta!” Abocanhei o caralho de papai e passei a chupá-lo com volúpia. “Vamos perder esse cabaço?!”, propôs-me papai. Levantei-me, direcionei minha bunda em relação à pica de papai e fui descendo até encaixar a entrada do meu cu virgem na cabeça do pau de papai. Rebolando devagar, fui descendo, abrindo a bunda com uma das mãos. Doeu mas eu não desisti. Quando senti que a cabeça já havia entrado mais fundo no meu cu, ficou fácil acolher o resto daquela tora de carne e nervos. Sentei com tudo, arrancando um longo suspiro de papai. “Cavalga, meu putinho!” Comecei a subir e a descer pela rola de papai. Após um bom período assim, ele pediu-me: “Mais rápido!” e foi pedindo a mesma coisa, cada vez mais arfante e eu aumentando o ritmo, até que ele me abraçou com força e urrou. Parei de cavalgar e sentei com tudo na rola de papai, que a forçava o mais fundo possível dentro de mim. Senti seu pau pulsar no meu cu, enchendo-me com sua porra.
Depois de recuperarmos o controle de nossas respirações, papai disse-me: “Precisamos fazer isso mais vez, ok?!” A minha resposta foi cair de boca novamente na rola de papai. E começamos tudo de novo.

16 Comments:

At 12:12 AM, Anonymous junior said...

tudo d bommm!!!!!!! amei mesmo... e gozei.... huehsuehuhshes

 
At 5:24 PM, Anonymous ARTHUR (RIO DE JANEIRO/COPA) said...

cara, vc não tem noção como essa história me exitou.....
porra!!!!!
sokei 2 bronhas, uma ontem e outra agora.
mas fala a verdade??isso foi sua imaginação??? ou vou verdade???
pô, nunca li um conto assim, confesso q fikei mauluco, de verdade.
quando vc ler essa mensage, me mande um email, disendo sero cara daki, desse conto de incesto, valeu.
um forte abraço.

 
At 11:13 PM, Anonymous Anônimo said...

por favor... me manda via e-mail.... to no trabalho e nao posso le aqui....


elianesilvasp@yahoo.com.br

por favor.....me faça feliz...

 
At 4:36 PM, Anonymous Anônimo said...

nossa,essa hisoria foi demais,estou cheio de tesao

 
At 1:14 AM, Anonymous Anônimo said...

ate a parte em q tava fudendo so sua mina tava otimo ,mas vc caiu de boca numa rola kra !toma vergonha natua cara.........

 
At 8:55 AM, Anonymous Anônimo said...

Maravilha! Adorei e fiquei duraço! Vou ter de bater uma! Meu MSN é: aciao@ymail.com

Aguardo contactos, para teclarmos gostoso!

Abraços

 
At 4:40 PM, Anonymous Anônimo said...

esse seu conto me exitou muito, deve ser uma experiencia tremenda chupar e levar rola do próprio pai. vou tocar uma agora lembrando do seu relato.

 
At 1:58 AM, Blogger Frei Carmo da Costa said...

Cara, q tesão eu senti, lendo o teu conto, gozei como se estivesse tomando no cu q eu adoro, pena nunca tertido um pai pra me comer.beijos.

 
At 11:33 AM, Anonymous KAKO SAFADO said...

ADORO DAR O CU PARA PAPAI,SEU PAU GRANDÃO,ME ENCHENDO COM SUA PORRA. HOJE TENHO 40 E PAPAI 64

 
At 6:00 PM, Anonymous Anônimo said...

Caramba cara que conto massa, sou hetero, mas curto uma bunda gostosa de macho na boa, vc é de onde cara? se puder me adiciona apollo.pb@hotmail.com Sou casado, bonito, musculoso e tenho 29 anos,moro em João Pessoa/PB.

 
At 10:31 AM, Anonymous Anônimo said...

foun fazer a mesma coisa com meu paqi .tode pau duroooooo

 
At 12:22 AM, Anonymous Anônimo said...

porra cara ate a parte da mulher tava boa depois qui esse menino começou a chupar o pau de seu pai ficou uma bosta

 
At 5:00 PM, Anonymous Anônimo said...

Tenho 20 anos e procuro um paizao, um cara mais velho q curta incesto e queira ser meu pai. Me add isacanetta@hotmail.com.

 
At 12:01 PM, Anonymous Anônimo said...

Quem curte incesto me add ao facebbok.

https://ww​w.facebook​.com/profi​le.php?id=​1000078721​56499

Beijos e abraços

 
At 12:28 PM, Blogger Ricardo-DF quero casais said...

>>> fudedor.de.esposas.df@hotmail.com
>>> (61) 8456-6055 Operadora OI.
>>> (61) 9285-0356 Operadora CLARO.
>>> Brasília-DF (Ceilândia)

>>> Olá sou Ricardo sou de Brasília-DF e adoro meter em mulher de corno.

>> A melhor posição que curto comer mulher de CORNO é a seguinte:

O corno por baixo da sua mulher num 69, o CORNO chupando a bucetinha dela e eu metendo a pica pra dentro da bucetinha dela.

>>> Sou comedor de esposinhas, procuro casais liberais, casadas, noivas,namoradas e solteiras. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles. Adoro gozar dentro da boca das casadas e mandar o CORNO limpar tudinho.

>>> Favor não fiquem mandando mensagens, pois não as respondo, se algum corno queira me ver fudendo a sua esposa então o mesmo tem a obrigação de me ligar para marcarmos algo real e não fantasioso. Só me liguem os que querem ser cornos de verdade e não os que querem só conversar papo furado.

>>> Casais que procuram homem (macho) para sua mulher (esposinha) que sejam daqui do Distrito Federal ou que possam vir prá cá.

>>> Todo corno merece eu como amigo.

 
At 5:04 PM, Anonymous Anônimo said...

Gostoso

 

Postar um comentário

<< Home